Você já se imaginou fazendo turismo numa escadaria? Pois bem, existem algumas no mundo que valem a pena e uma delas, das mais bonitas,  está bem aqui, no Rio de Janeiro: A Escadaria Selarón.

Escadaria Selarón – um pouco de história

Não sei vocês, mas me interessa saber sobre o contexto da atração a qual eu estou visitando acho que engrandece a obra e faz com a que a gente consiga captar, ainda que incipientemente, o contexto ma qual ela foi construída. Então lá vai.

Jorge Selarón foi um chileno, artista plástico, radicado no Rio de Janeiro que em 1990 resolveu reformar a escada perto de sua casa. No início ele usava azulejos refugado das obras e ia colocando, um a um, na escadaria. Com o passar do tempo e com os olhares curiosos e admirados Selarón começou a receber azulejos trazidos por amigos, turistas e curiosos do mundo todo.

Daí esse colorido lindo, diversificado e globalizado que forma a escadaria Selarón, que recebeu, claro, o nome do artista.

Azulejos mosaicos - Escadaria Selarón

Azulejos mosaicos – Escadaria Selarón

Escadaria Selarón – como chegar

Escadaria Selarón - Como chegar

Melhor você pegar o metrô e descer na estação Glória, ou na estação Cinelândia que é até um pouco mais perto, mas como eu desci na Glória, vou te contar do meu trajeto:).

Da estação Glória você segue andando pela Rua da Lapa e dobra, à esquerda, na rua Teotônio Regadas. É bem na esquina da sala Cecília Meireles (que um dia vai ganhar um Rio bairro a bairro só dela) e de lá já dá pra ver os lindíssimos Arcos da Lapa (não sei porque, mas esses arcos me fascinam, amo).

Aqui vale um adendo:

Fazer turismo no Rio de Janeiro é obviamente, fazer turismo no Brasil, portanto, não espere nada muito asséptico, ainda mais quando o assunto é centro da cidade, como no caso da Escadaria Selerón; contudo, não precisa ter medo. Bota a mochila pra frente e siga feliz encarando a realidade dura de um terceiro mundo, porém tropical e bonito por natureza.

Das antigas - Rio bairro a bairro 

Aproveite para ir se deliciando com o comércio de quinquilharias antigas que ficam nas calçadas. É gente humilde que recebe doações e revendem tudo por lá. Você vai encontrar bonecas velhas, fitas K-7, LPs de toda sorte (amei os da Xuxa), gravadores, papel de parede e tudo o mais que você nem pode imaginar. É uma delícia!

 

 


A escadaria

A Escadaria Selarón liga os bairros da Lapa à Santa Teresa, que, pra mim, são os bairros mais charmosos do Rio de Janeiro. Qualquer dia eles aparecem aqui no nosso Rio bairro a bairro.

A Escadaria Selarón - Rio bairro a bairro

São 225 degraus, medindo 125m. Vale a pena ir olhando os azulejos com calma e vendo de onde são, as mensagens que trazem e as cores que exalam. É lindo! E é bom que de lá você já pode se jogar num chopp com empada (dica no link), pois já queimou calorias suficientes.

Eu :) 

A predominância da cor vermelha nos azulejos deixa o lugar “quente” e tentador com uma vontade de subir e descer não sei quantas vezes aquilo lá.

Ao longo da escadaria você vai encontrar artesãos dessas bijouterias que se encontra em qualquer lugar do mundo, locais pra tomar uma água de coco, refrigerante, alguém tocando violão e turistas do mundo todo.

Caso você queria almoçar por lá mesmo, existem restaurantes bem tradicionais, como a Adega Flor de Coimbra, inaugurada em 1938, o Nova Capela com seu tradicionalíssimo cabrito, dentre outros. Eu ainda não fui almoçar por lá, mas qualquer dia desses eu te conto aqui como é, tá?

Então, prepare o tênis, a máquina fotográfica, ou seu celular mesmo e as pernas para não perder essa atração turística linda que tem aqui no Rio.

Ah! E quando você for, não se esquece de postar no seu instagram, ou no FB uma fotinha do lugar e marcar o @rioemresenha vou adorar acompanhar suas aventuras por essa cidade que a cada dia me encanta mais com tanta beleza.

E se você gostou dessa matéria, acho que vai gostar dessa também.

Beijos e até a volta!

2 Comentários

  1. Michelle Benevides

    Quero muito conhecer! Já te contei que estava na fila do bonde para Santa Teresa em 2011 qnd aconteceu aquele acidente horrível em que o bonde tombou e morreram várias pessoas?! Nunca mais voltei…

Mais Rio em resenha