hoje é dia da minha mãe

Hoje é dia da minha mãe

Hoje é dia da minha mãe. Desde de bem antes ela já dizia que não queria festa. “Pra que isso de comemorar essa data específica? Todo idade é única”, me dizia desencorajando-me a dar uma festa de arromba do tamanho do meu coração por ela. 

Veio a pandemia e seu horror ficou sendo as celebrações com carros de som. “Pelo amor de Deus, minha filha, você me poupe de uma coisa dessas se isso durar até lá”. Ainda era março e infelizmente durou. Prometi por tudo que não faria isso com ela (rsrsrs. não sei aí no seu bairro, mas o cara que faz por aqui não é dos melhores, não). Discreta como ela só, minha mãe se emociona e emociona nas palavras ditas diretamente, diariamente a quem se quer bem. Tem toda paciência do mundo para conversar com gente do afeto, mas definitivamente, confete em dia de festa pra ela, não é sua praia. 

Realmente, mãe, hoje, ainda não temos muitos motivos para comemorar. A pandemia veio a galope pra gente e nossa maré ainda não está pra peixe. Estamos lutando e nos conforta saber, a cada dia, das pequenas e imensas vitórias. Nós vamos vencer, mãe, TUDO.

Aqui dentro de mim, ainda que sem poder me expandir, mal sair de casa pra comprar umas comidinhas, ainda que meio amuada, cansada, é festa. É dia de pensar que neste dia nascia a mulher mais maravilhosa que eu podia conhecer. Engraçada, empática, sensível sem ser boba e forte sem ser dura. Alguém que na maior parte do tempo te olha com um sorriso, é otimista, prática. E que não tem mau humor. Já viram isso? Uma pessoa que não tem mau humor? Mamãe não tem. 

Uma mulher de quem todos gostam de estar perto, mulher que nutre cada laço que lhe é nó. Não é de multidão, como já disse, mas se você tiver um lugar nesse coração – que cabe muita gente – pode ter certeza de que ali você tem um porto, um bolo comprado no dia, um pãozinho de coco, um doce de leite… Pergunte pros afilhadxs dela pra você ver se não é assim. Aliás, afilhadxs aqui em casa são filhxs. 

Mulher de conversas duradouras, com pensamentos e sentimentos em profundidade e com uma mentalidade nada nostálgica. Ela sempre está no presente. Nem de música antiga ela gosta e vive a querer me fazer soltar as amarras que, segundo ela, me prendem ao passado, ao chão, Minha mãe só quer que eu voe. E eu voo, mas sempre volto, porque não sou nem besta de ficar longe da minha melhor amiga. A melhor companhia pra uma cerveja (junto com meu pai), pra uma praia, pra uma viagem, pra uma ida ao shopping, pra uma tarde de jogar conversa fora. Imbatível, a mamãe.

Pois uma mulher dessas resolveu dedicar boa parte da vida a mim. Que sorte, meu amiguxs, pura sorte, muita sorte. Cresci sendo acordada com beijos antes de ir pro colégio e indo dormir com um “durma com os anjinhos e não caia da cama”, mas antes, era ninada com canções de Chico, com Oração de Mãe Menininha (isso é luxo e é afeto). Cresci e sigo sendo mimada por ela que deixa de comer pra sobrar pra mim até hoje – eu, claro, deixo de comer pra sobrar pra ela. Ela que faz o melhor brigadeiro do mundo e diz “coma, minha filha, você vai ficar até mais feliz comendo esse brigadeiro”. Mulher que me reconhece pelo olhar – com máscara – se tô mal, se tô triste. Ela se senta e fica esperando eu desabafar, eu conseguir falar do que dói. E sempre passa.

Uma mãe que me acompanhava em palestras que eu dava, já adulta, pra me deixar mais segura, que ouve todas as minhas crônicas – TODAS – em primeira mão e me pergunta quando é que vão me descobrir porque, segundo ela, todo mundo precisa ler o que eu digo. 🥰 Mãe que não perde uma roda de literatura do Com Escrita Com Afeto, nem meu pai. Mãe que controla meu peso – tô sempre magra demais – e que, até hoje, me manda ter cuidado com o mar perigoso da Praia do futuro, da Prainha, de Ipanema… todos os mares tem buracos.

Tem sim, mãe. Todos eles têm.

Buracos traiçoeiros em meio àquele verde e azul tão lindos. Feito a vida, mãe, tão linda e tão traiçoeira. Mas olha, mãe, eu nunca me afoguei, mesmo me jogando na vida (não no mar, ali, meu total respeito). Ok, já me afoguei sim, em lágrimas, já nos afogamos, mas quem não se afoga “vezenquando”, né, mãe? Quer dizer, afogar-se em lágrimas é coisa minha, a senhora não fica sofrendo feito eu não pelas coisas, não. A felicidade sempre foi sua companheira, sua disposição pela alegria no simples, na ida ao supermercado depois que o papai chega do trabalho só pra  comprar umas passinhas, umas laranjas… Bia brincava que você se esquecia delas de propósito, só pra ter a desculpa de sair e depois ir comer um pastel, uma pizza, tomar uma cervejinha, ou um sorvete em plena quarta-feira. 

Pois hoje, mãe, no seu dia, pensei em tanta coisa, mas a senhora sempre me mostra que tudo a gente já tem. Um bolo, o Nelsinho, a Covid que não nos pegou – pelo menos até agora – e de noite, vamos nos reunir com quem a gente quer bem pelo zoom só pra emanar energia boa.

Mesmo o mar estando com alguns buracos, mãe, nós vamos sair, a gente sempre sai. Tem dia lindo lá fora e, como “aquela” nossa girassol, nós vamos com ela em busca de luz. Já sinto até o calor bronzear a gente aqui.

Mas se prepara, mãe, pois ano que vem tem festa de arromba. Não será data redonda, não será nenhuma idade específica, mas será sempre dia de celebrar a sua vida. Com gêmeas, irmã (quem sabe o pessoal do Rio), cunhado, comadres, afilhadxs, os chegadxs.
.
Eu, daqui, serei sempre plateia, escudo, cuidado e amor.

Eu te amo imensamente. Obrigada por tanto, por tudo, por sempre.

Parabéns pela sua vida. 

3 Comentários

  1. Leticia

    Que texto lindo Lu. Ela é sim essa mulher sensacional, leve, simples, de paz e de amor.
    Parabéns tia Vânia.

    1. Luciana Targino

      Tita, obrigada! O dia dela foi muito especial mesmo. Desde cedo com a cesta sua e do Dani, com o Nelsinho, com o girassol e com você no final do dia. Os tempos não são fáceis, mas é bom extrair momentos de alegria. Obrigada por ter feito desse dia tão especial. Você é luz.

  2. Eliana

    Assino embaixo tudo o que foi dito e acrescento que meu maior presente foi minha mãe que deu, quando me deu essa pessoa tão especial como irnã. Irmã de TODAS as horas.❤️

Mais Sem categoria