injustiça - presidiários

Injustiça.

Hoje é dia de jogo do Brasil na Copa (escrevi esta crônica no dia 27/06) e eu to aqui em frente à televisão produzindo enquanto vejo as notícias. No jornal, uma matéria que foca especialmente o meu estado – Ceará – talvez por isso tenha me pego tão em cheio, ou não, a matéria já é absurda per si.

A manchete: Presos que já deveriam estar soltos há quatro, nove anos, ainda estavam em cárcere por causa da morosidade da nossa justiça: ineficiente, morosa, corrupta, burra e, claro, injusta.

Lembro-me de uma vez que um namorado, com ciúmes de mim, me segurou pelo braço – não foi forte – mas foi o suficiente para eu me sentir presa. Uma prima veio me alertar sobre o que tinha acontecido: – Como assim, Luciana, ele te pega pelo braço desse jeito?!

A partir desse dia, e eu tinha uns 21 anos, eu NUCA mais admiti, sob hipótese alguma, que alguém cerceasse a minha liberdade. Eu mesma me aprisiono bastante em meus medos e nóias, mas não deixo que ninguém mais o faça. Até quando estou numa festa e digo que vou embora e alguém diz – fica mais… Já me dá nervoso e eu saio. 

Sempre tive HORROR  a não poder sair quando quisesse de qualquer canto. Tá aí também a minha ojeriza a ambientes de escritório, nos quais ficamos presos de 8h às 12h – 14h às 18h, sem poder ver a tarde brilhar e o sol se por lindamente, como ele faz todos os dias, sem poder estar perto das pessoas que eu quero na hora que eu quero, sem poder dormir até um pouquinho mais tarde, sem poder almoçar com calma por só ter uma ou duas horas de almoço e, nesse tempo, ainda encontrar espaço pra ir ao banco, fazer uma compra, me depilar, cuidar de mim… Não admito.

Sou muito grata por poder optar em estar fora desse sistema e tenho pena de todo mundo que dele é refém. Eu lamento mesmo, acho super injusto. Mas se um escritório é uma prisão de regime aberto e, male male, você tem alguma opção de escolha em estar ali, você imagine estar injustamente cerceado do seu direito de ir e vir em regime fechado e, pior, injustamente.

Indo além, a forma como somos vigiados e punidos já não é lá muito justa em alguns casos – não estou defendo criminosos, ok?, eu sou a favor até da pena de morte em alguns casos, mas estou apenas contatando fatos. Se você quiser saber mais, procure pelo motivo que leva a maioria das mulheres às cadeias, de onde nunca mais veem seus filhos e suas famílias se desestruturam pra sempre – agora, você imagine que, mesmo dentro da injustiça da justiça, você seja condenada, cumpre a pena e ainda fica mais nove anos na cadeia porque o Estado se esqueceu de você, indigente, vida sem valor, ser sem alma e te deixou morfando lá, enquanto o sol brilhava todos os dias, enquanto as ondas estavam mansinhas num mar morninho bom que só pra mergulhar, enquanto sua mãe envelhecia e seus filhos cresciam, enquanto a sua mulher cuidava de tudo sozinha ou o seu marido te abandonava e construía outra família… Imagina essa lacuna na sua vida.

Será que dá pra seguir em frente? Ou a gente vive pra sempre apegado a um passado que não teve? Uma saudade do que não viveu, do que não viu, do que não construiu… 

Uma vida à parte da vida que era pra ter sido sua, um enredo que alguém resolveu entonar pra você sem nem perguntar qual o seu ritmo, o seu tempo, a sua bossa.

Pois é isso que a injustiça brasileira anda fazendo com gente como a gente, mesmo que muitos acreditem que a vida de uns vale mais do que a dos outros. É tudo gente, minha gente, é tudo uma loteria, estar vivo é loteria e todo mundo deveria vir com a mesma chance de fazer escolhas, ainda que escolhas ruins, mas escolhas. Ainda que essas escolhas nos levem para a cadeia, mas escolhas e que sim, fôssemos punidos quando necessário.

A liberdade é o nosso maior bem perante o estado, a nossa integridade e a preservação de nosso corpo.

Nascer é loteria, mas a liberdade não deveria ser uma questão de sorte ou azar. 

Em tempo, vou adorar ter sua companhia nessa conversa nos comentários. E se você gostou, compartilha com alguém que você ache que gostaria de ler esse texto. Obrigada!

E se não leu ainda a da semana passada, vou deixar o link aqui, acho que você vai gostar também. 

Imagem da justiça, fonte aqui

0 Comentários

Mais Crônicas